Parceiros da Rede Social de Esposende dinamizam projetos inovadores

Parceiros da Rede Social de Esposende dinamizam projetos inovadores

- in Local, Notícias
330
0

O Município de Esposende, no âmbito do desenvolvimento da Rede Social de Esposende, tem contribuído para que os parceiros do Conselho Local de Ação Social desenvolvam uma ação que impulsione o desenvolvimento de novas dinâmicas de intervenção social, promovendo a inclusão social, a coesão territorial, o empreendedorismo e a sustentabilidade social.

Esposende tem presenciado as distinções das suas instituições por iniciativas de inovação no âmbito social que respondam a necessidades sociais ou acrescentem valor à intervenção desenvolvida, contribuindo para gerar novas formas de colaboração com reflexo nas comunidades locais e na sua capacidade de ação e intervenção. Recentemente, destacam-se quatro instituições concelhias, nomeadamente a GRASSA – Grupo de Ação de Solidariedade Social de Antas, a Associação Rio Neiva, o Centro Social da Paróquia de Curvos e a Esposende Solidário – Associação Concelhia para o Desenvolvimento Integrado.

A GRASSA, em colaboração com a Rio Neiva, também de Antas, viu o projeto “Por um Galho – intervenção social e artística pela natureza” apoiado pela Fundação Calouste Gulbenkian e pela Fundação” la Caixa”, no âmbito da PARTIS & Art for Change. Este foi um dos 16 projetos de arte participativa selecionados, a nível nacional, nesta que é a primeira edição da iniciativa, destinada a distinguir os melhores e mais inovadores projetos de inclusão social pela prática artística, durante o triénio 2021-2023. O projeto “Por um Galho” terá uma duração de 36 meses e tem como objetivo principal a inclusão e valorização da população sénior vulnerável, através do seu envolvimento na conceção, execução e exposição de instalações artísticas efémeras baseadas na natureza e construídas com materiais naturais. As instalações serão estrategicamente colocadas em diferentes pontos do Parque Natural Litoral Norte, tendo em conta os percursos pedestres já existentes e reconhecidos da região. Trata-se, pois, de um projeto de “arte ambiental” que procura estabelecer relações mútuas entre arte, natureza e sociedade.

Já a Associação Rio Neiva, em parceria com a GRASSA, concorreu à 8.ª edição do Prémio Seniores, promovido pelo BPI e pela Fundação “la Caixa”, que visa apoiar projetos que promovam o envelhecimento ativo, saudável e em casa, de pessoas com idade superior a 65 anos em situação de vulnerabilidade social. Em causa está o projeto “Hora Verde – Atividades na natureza para um envelhecimento ativo”, que visa realizar e incentivar atividades regulares baseadas na natureza para a população sénior local em Esposende, adaptadas aos grupos mais vulneráveis, com o objetivo de estimular um envelhecimento ativo.

Por sua vez, o Centro Social da Paróquia de Curvos viu aprovada, através da candidatura à “Parcerias para o Impacto” do Portugal Inovação Social, a candidatura do projeto “Linhas com história(s)”, que visa colmatar o problema social do envelhecimento populacional desintegrado e do incremento das situações de exclusão social da pessoa idosa. Trata-se de um projeto de e para o idoso, através do qual serão dinamizadas oficinas de tecelagem, sessões e dinâmicas regulares para a aquisição e desenvolvimento de competências chave e aprendizagens ao longo da vida. Para pessoas com necessidade severa de intervenção, o projeto prevê a disponibilização de Centros de Acolhimento Temporário, as designadas “Casas dos Afetos”, onde serão cuidados e orientados, sendo-lhes disponibilizadas atividades potenciadoras de capacitação de competências, entretanto perdidas ou pouco trabalhadas.

A Esposende Solidário candidatou-se à capacitação para o Investimento Social do Portugal Inovação Social, destinado a apoiar Iniciativas de Empreendedorismo e Inovação Social (IIES), com a IIES Plataforma Colaborativa de Esposende, nomeadamente a Loja Social de Esposende, com o intuito de inovar nas respostas desenvolvidas e aumentar a sua eficácia. Uma das ações passa pela elaboração e implementação de um Manual de Gestão de Voluntários para a Plataforma Colaborativa de Esposende, de modo a aferir um conjunto de informação que permita evoluir no plano de boas práticas. Será ainda implementado um modelo de valorização dos bens trocados que permita determinar os montantes transacionados e o impacto económico-social do projeto, bem como a definição da sua identidade e um Plano de Comunicação específico alinhado com a sua estratégia e objetivos.

Todos estes projetos assentam na inovação social, e numa vertente de mudança, valorizando a participação para a construção de comunidades mais sustentáveis, coesas e justas. É, de resto, neste contexto que o Município de Esposende tem proporcionado formação e qualificação dos profissionais e dirigentes das instituições particulares de solidariedade social (IPSS) do concelho, tendo sido concluída recentemente uma Pós-Graduação em Gestão de Organizações de Economia Social, resultado de um protocolo de colaboração com a Universidade Católica Portuguesa. Através do trabalho desenvolvido no âmbito da Rede Social de Esposende, o Município está a contribuir para o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU.

Facebook Comments

Leave a Reply

 

Related Posts