PS de Esposende: ciúme ou é mesmo só irresponsabilidade?

PS de Esposende: ciúme ou é mesmo só irresponsabilidade?

- emNotícias, Política
43
0

O PS não cessa de nos surpreender, mas, louve-se a coerência, sempre pela negativa.

O comunicado emitido com grande celeridade, ainda o ministro do Ambiente se encontrava em território esposendense, só demonstra o desnorte e a falta de coerência, além de revelar um sentimento novo na política concelhia, senão no próprio país!!! O ciúme.

No espaço de cinco dias, o ministro do Ambiente deslocou-se a Esposende por duas ocasiões: para inaugurar a nova ponte pedonal e ciclável sobre o rio Neiva, em Antas e para lançar a obra de construção do canal intercetor de proteção da cidade de Esposende.

De facto, a relação que o ministro do Ambiente tem mantido com o Município de Esposende situa-se a um nível pouco usual na política comezinha a que alguns estão habituados. É reconhecida, a vários níveis, a capacidade técnica e intelectual do ministro do Ambiente que, movido pelo sentido de Estado, não olha a cores partidárias para desenvolver o projeto ambiental que idealizou para as funções que ocupa.

Naturalmente, esta postura incomoda muita gente, principalmente aquela que, movida pelo caciquismo de pequena instância, vê toldada pelo ciúme qualquer ação pública que desenvolva.

A necessidade em fazer prova de vida leva a estes dislates.

Ao longo das últimas décadas, fomo-nos habituando a ver a forma errática como o PS Esposende se move, ou seja, sem rumo. Ao sabor de pensamentos pequenos, avança por reação a todas as ações da Câmara Municipal. Isto quando não hiberna por longas temporadas, quantificadas na vontade dos seus líderes ou na disponibilidade para escrevinhar um arrazoado de banalidades.

Normalmente, a veia inspiradora dos líderes socialistas coincide com as férias, talvez por disporem de mais tempo para relerem os manuais da ação socialista. Isto para alguns que só recentemente começaram agora a lê-los.

Basta ver também o conjunto de disparates que recentemente andaram a distribuir pelas portas dos esposendenses… De repente, a Estação Radionaval de Apúlia e o Forte de S. João, que estiveram abandonados pelo estado durante 20 anos, já são da nossa responsabilidade e toda a culpa pelo abandono e degradação são nossos. Pergunta-se onde andaram estes senhores durante os últimos 20 anos em que este património esteve abandonado pelo estado, e vejam bem quantos anos destes 20 foram da responsabilidade do partido socialista… enfim!

Acresce ainda o desespero demonstrado ao tentar criar um caso político com uma construção, tentando passar a ideia de favorecimento sobre um processo, passando por cima de toda a ética e respeito pelas pessoas que investem e criam emprego no concelho…

O desespero é tanto que já vale tudo para atacar o presidente Benjamim Pereira, a derrota foi dura, os argumentos estão esgotados e, portanto, não restam outras alternativas que não sejam a baixa política da difamação e da insinuação.

Ficamos, pois, (admirados?) com as capacidades dos líderes do PS Esposende que conseguem, numa penada de meia dúzia de parágrafos, fazer juízos de valor sobre a capacidade técnica do ministro do seu partido, ao aprovar a obra do canal intercetor de Esposende, e pasme-se, criticar um dos maiores investimentos de sempre no nosso município.

Será por isso que, mais que o descrédito que já conseguiram junto do PS nacional, somam o crescente descrédito junto dos esposendenses.

 

A Comissão Política do PSD Esposende

Comentários Facebook

Comentários

 

Artigos relacionados