Município homenageou combatentes da 1.ª Grande Guerra no centenário da Batalha de La Lys

Município homenageou combatentes da 1.ª Grande Guerra no centenário da Batalha de La Lys

- emLocal, Notícias
3
0

No dia em que se assinala o centenário da Batalha de La Lys, 9 de abril, o Município de Esposende prestou homenagem aos combatentes esposendenses da 1.ª Grande Guerra, numa evocação que integrou a celebração de uma missa e visitas aos cemitérios de Marinhas e de Esposende, para deposição de uma coroa de flores e onde se fizeram ouvir os toques do silêncio, de homenagem aos mortos, e de alvorada.

Na celebração, que teve lugar na Igreja Matriz de Esposende, o Arcipreste de Esposende, Padre Delfim Fernandes, aludiu à memória dos 197 combatentes do concelho que combateram na 1.ª Grande Guerra e aos 15 esposendenses que perderam a vida na Batalha de La Lys, lembrando o seu heroísmo e agradecendo “a vida que deram por nós”.

Na visita que se seguiu ao Cemitério de Marinhas, ao Talhão dos Combatentes da Grande Guerra, o Presidente da Junta de Freguesia de Esposende, Marinhas e Gandra, Aurélio Neiva, referiu que mais de três dezenas de marinhenses estiveram na “fatídica” Batalha de La Lys, um dos quais morreu em combate e ficou sepultado em França. Considerando a homenagem extensiva a todos os combatentes portugueses, Aurélio Neiva saudou a Câmara Municipal por mais esta iniciativa do programa evocativo do Centenário da 1.ª Grande Guerra.

“Temos obrigação moral de não deixar passar estas datas em branco”, afirmou o Presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, numa breve intervenção, onde lembrou os “milhares de jovens” que foram mobilizados para a guerra, 197 dos quais do concelho de Esposende.

“O Município empenhou-se e continuará empenhado na preservação da memória e na defesa daquilo que é mais importante”, referiu Benjamim Pereira, lembrando que, no âmbito do programa evocativo do Centenário da 1.ª Grande Guerra, falta cumprir a promessa da edificação do Monumento aos Combatentes. Assumiu, contudo, que este projeto será uma realidade e anunciou que, no próximo mês de novembro, se realizará a anunciada Conferência sobre o Armistício, acrescentando que decorrerá, ainda, uma vigília pela paz. Benjamim Pereira espera que esta iniciativa mobilize a comunidade esposendense, particularmente, os jovens, envolvendo a todos num “sentimento de partilha e de união em torno de causas”.

Benjamim Pereira agradeceu a todos quantos se associaram a estas cerimónias evocativas e referiu que, também hoje, o Presidente da Comissão das Comemorações do Centenário da 1.ª Grande Guerra para Esposende, Manuel Albino Penteado Neiva, depôs uma coroa de flores e uma placa evocativa, no cemitério de Richebourg, em França, junto dos túmulos dos combatentes esposendenses aí sepultados.

No Cemitério de Fão, no Talhão dos Combatentes da Grande Guerra, o Presidente da Junta da União das Freguesias de Apúlia e Fão, Luís Peixoto, destacou a pertinência e a importância de lembrar e homenagear os “heróis” que estiveram em frentes de batalha.

Em jeito de enquadramento, Ivone Magalhães, do Museu Municipal de Esposende, deu nota da participação dos esposendenses na 1.ª Grande Guerra, 6 dos quais se encontram sepultados no Cemitério de Fão e 17 no de Marinhas, cemitérios onde o Município criou talhões oficiais aos combatentes, razão pela qual esta evocação apenas englobou visitas a estes cemitérios, como explicou o Presidente da Câmara Municipal.

Comentários Facebook

Comentários

 

Artigos relacionados