Município de Esposende dota escolas do 1.º ciclo com tablets num investimento de 100 mil euros

Município de Esposende dota escolas do 1.º ciclo com tablets num investimento de 100 mil euros

- emEducação, Notícias
145
0

O Município de Esposende vai dotar de tablets as escolas do 1.º Ciclo do Ensino Básico do concelho, num investimento de aproximadamente 100 mil euros. A medida integra o Projeto Educativo Edu@Esposende, que foi apresentado aos docentes, em sessão realizada, ontem, no Fórum Municipal Rodrigues Sampaio.

Este projeto, que integra o Plano Estratégico Educativo Municipal, pretende proporcionar aos alunos e professores do 1.º ciclo o acesso a recursos tecnológicos de fácil mobilidade e interatividade, de que é exemplo o tablet, com softwares educativos e colaborativos, promovendo, em paralelo, a formação para os professores, no sentido de potenciar novos métodos de ensino-aprendizagem mais enriquecedores, interativos e dinâmicos. O Edu@Esposende pretende, ainda, potenciar a utilização mais eficaz e constante das plataformas digitais “No poupar está o ganho” e “+ Cidadania”, com o intuito de promover o desenvolvimento da Literacia Financeira, Cidadania e do conhecimento Património Local e Cultural.

Nesta primeira fase, o projeto contempla a aquisição de 205 tablets, a distribuir pelas 19 escolas do 1.º ciclo do concelho, abrangendo um total de 1 328 alunos.

O Presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, sublinhou a relevância deste projeto, considerando-o mais um investimento na área da Educação, com evidentes benefícios para a comunidade educativa do concelho. Notou que se trata de um projeto pioneiro, que será monitorizado possibilitando ao Município aferir os resultados da sua aplicabilidade, perspetivando-se que o mesmo possa vir a ter maior alcance no futuro. Em linha com os eixos dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU, o Projeto Educativo Edu@Esposende enquadra-se, também, no projeto das cidades inteligentes, o Esposende SmartCity, que assenta nos pilares da Sustentabilidade, Pessoas, Território e Arte, concluiu Benjamim Pereira.

Na sua intervenção, a Vereadora da Educação e Cultura, Angélica Cruz, referiu que são vários os documentos normativos, nacionais e internacionais, que reforçam a necessidade do desenvolvimento de competências na área digital e tecnológica junto dos alunos do 1.º Ciclo do Ensino Básico, nomeadamente a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), no Perfil do Aluno para o Século XXI e no Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. Destacou, também, que as TIC (Tecnologias de Informação e Comunicação) se apresentam como um fator de inclusão e de combate ao insucesso escolar, servindo de suporte, promoção e motivação à aprendizagem.

José Cardoso da empresa JP, que concebeu os tablets e os softwares educativos para os alunos do 1.º ciclo, realizou uma demonstração de algumas das funcionalidades e programas para a aprendizagem em contexto de sala de aula, mencionando que o projeto prevê a avaliação do impacto, através da monitorização periódica, no sentido de redefinição contínua dos objetivos pedagógicos durante a implementação do projeto.

Posteriormente, os professores irão receber formação sobre o uso adequado dos equipamentos e softwares, que se prolongará por todo o ano letivo, sendo depois entregues os tablets às escolas.

Comentários Facebook

Comentários

 

Artigos relacionados