Município de Esposende apoia IPSS’s num investimento de cerca de 160 000 euros

Município de Esposende apoia IPSS’s num investimento de cerca de 160 000 euros

- emLocal, Notícias
26
0

A Câmara Municipal de Esposende vai atribuir apoios financeiros às Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS’s) do concelho, num montante global que rondará os 160 000 euros, conforme deliberação aprovada em reunião de Câmara, por unanimidade.

A verba, a distribuir por 18 instituições com respostas sociais, visa contribuir para a qualificação, diversificação, rentabilização de recursos e aumento da cobertura das respostas dos equipamentos sociais e, consequentemente, para o desenvolvimento e coesão social do concelho.

O apoio a atribuir a cada instituição foi definido com base em critérios, como seja o número de utentes e as respostas que prestam à comunidade. A materialização destes apoios será concretizada, pela primeira vez, através de protocolos de cooperação, a estabelecer com a Associação Social Cultural Artística e Recreativa de Forjães (ACARF), APPACDM Braga – Complexo de Esposende, Associação Social, Cultural e Recreativa de Apúlia (ASCRA), ASSINJEPE – Associação de Defesa, Desenvolvimento e Promoção do Centro Infantil da Escola António Correia de Oliveira, Centro Paroquial e Social de Vila Chã, Centro Social da Juventude de Belinho, Centro Social da Juventude de Mar, Centro Social da Juventude de Marinhas, Centro Social da Paróquia de Curvos, Centro Social e Cultural de Gandra, Centro Social João Paulo II, Centro Social Paroquial de Fonte Boa, Centro de Intervenção Cultural e Social de Palmeira de Faro, Esposende Solidário – Associação Concelhia para o Desenvolvimento Integrado, Fundação Lar de Santo António, Grupo de Ação de Solidariedade Social de Antas, Santa Casa da Misericórdia de Esposende e Santa Casa da Misericórdia de Fão.

O Presidente da Câmara Municipal, Benjamim Pereira, realça a importância de se harmonizarem regras e critérios para a prestação de apoios financeiros e técnicos por parte do Município às entidades sem fins lucrativos, de forma objetiva e equitativa.

Por esta via, o Município está a promover a sustentabilidade funcional destas organizações promotoras do desenvolvimento social concelhio, possibilitando a alavancagem e a prossecução de iniciativas de interesse municipal de natureza social, qualificando as respetivas respostas sociais e diversificando e aumentando a cobertura da rede de serviços e equipamentos sociais do concelho.

Esta medida integra um conjunto de políticas municipais no domínio da coesão social, proporcionando respostas a grupos de indivíduos específicos, às famílias e à comunidade, no sentido de promover o bem-estar social. Neste contexto, é determinante a implementação de parcerias dinâmicas e integradas, apoiadas nos agentes locais de intervenção social, tendo por base os instrumentos de planeamento e diagnóstico, tais como o diagnóstico social, o plano de desenvolvimento social e os respetivos planos de ação. “Considerando o contexto de pandemia existente, este apoio ganha ainda maior relevância”, nota Benjamim Pereira.

Esta medida, em concreto, constitui mais um contributo para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), processo relativamente ao qual o Município se encontra empenhado e o qual não pode ser descurado, pese embora a situação de emergência em vigor relacionada com a pandemia por COVID-19.

Comentários Facebook

Comentários

 

Artigos relacionados