Fórum deu contributo valioso à Educação e ao Património de Esposende

Fórum deu contributo valioso à Educação e ao Património de Esposende

- emEducação, Notícias
2
0

O Fórum da Educação, promovido pelo Município de Esposende, que encerrou no passado domingo, dia 3 de junho, revelou-se uma excelente plataforma de debate e projeção da Educação no município, tendo o Património como ponto de referência, no qual se alicerça toda a nossa cultura.

“Procuramos reunir todos os agentes envolvidos no processo educativo municipal, chamando ao debate os principais responsáveis pela aplicação do programa educativo e colhendo contributos de especialistas em diversas áreas do saber, incorporando o tema do Património e da sua influência na Educação”, realça a vereadora com o pelouro da Educação, Angélica Cruz.

Neste Fórum foram alcançados excelentes resultados, no que diz respeito aos objetivos gerais definidos na base deste encontro. Desde logo, os princípios elencados pela Comissão Europeia, ao instituir 2018 como o Ano Europeu do Património Cultural e que define as áreas da diversidade cultural, do diálogo intercultural e da coesão social como prioritárias.

Ao longo dos diversos debates e conferências foi possível recolher contributos para aprofundar o âmbito do projeto estratégico que se preconiza para Esposende, como verdadeiro município educador, tendo sempre como referência a importância do Património na narrativa da História local e da sua importância na projeção do futuro, tal como enfatizado na conferência de abertura.

Os participantes foram convidados a refletir sobre o contributo do Património e da História para a construção e enriquecimento do currículo local, tendo sido abordadas as experiências e as oportunidades educadoras dirigidas a todos os cidadãos. Neste contexto, os Agrupamentos de Escolas António Correia de Oliveira e António Rodrigues Sampaio, bem como a Escola Secundária Henrique Medina e a Escola Profissional de Esposende apresentaram, em Painel, alguns dos projetos e vivências alicerçadas na importância da exploração e divulgação do património como fator diferenciador no processo de ensino de aprendizagem. Foi um evento de partilha frutuosa e inspiradora para todos, tendo sido realçado que, ao trabalhar o Património, estamos a cumprir “o dever de não esquecer” e a encontrar espaços de esperança. No mesmo Painel, o Município de Esposende apresentou alguns dos projetos mais relevantes, levados a cabo ao longo dos últimos anos por diversos Serviços e empresas municipais, assumindo o seu compromisso de aprofundar internamente o trabalho nesta área, bem como as parcerias com os diversos agentes educativos, culturais e sociais, ao abrigo do Plano Estratégico Educativo Municipal.

Muitos foram os estudantes de Esposende que procuraram informação sobre o Ensino Superior, Secundário e a Educação de Adultos, numa Mostra Educativa que esteve patente no Largo Rodrigues Sampaio. Estiveram representadas a Universidade do Minho, os Politécnicos do Porto, de Viana do Castelo e do Cávado e Ave, o ISAVE, o I. Universitário da Maia, a U. Católica (Porto e Braga), a CESPU – Ensino Superior, a Escola Secundária Henrique Medina, a Escola Profissional de Esposende e o Centro Qualifica Litoral Cávado. Ainda dedicado aos alunos, sobretudo do ensino secundário, o Fórum da Educação proporcionou uma tarde de contacto com profissionais de diversas áreas, com percursos inspiradores, que teve por objetivo motivar os alunos na prossecução de estudos e na procura incessante de oportunidades formativas e profissionais, com vista à sua realização e felicidade. A iniciativa contou com a co-organização da Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Secundária Henrique Medina.

Outro dos importantes patrimónios – o dos afetos – foi também discutido neste Fórum, com uma tertúlia que mobilizou muitos pais e professores e na qual se deu ênfase especial à importância das relações interpessoais na “musculação” dos afetos, constituindo estes um valioso “capital social” para o bem-estar de cada um. Também a Educação e Formação de Adultos teve o seu espaço nesta edição do Fórum da Educação, como um dos vetores importantes na senda de um posicionamento estratégico que enfatiza a educação ao longo da vida, visando, entre outros aspetos, atenuar a polarização e assimetria geracional e contribuindo, desta forma, para a melhoria das condições de vida e, por conseguinte, para uma maior satisfação pessoal. Neste contexto, em co-organização com o Centro Qualifica Litoral Cávado, realizou-se um Seminário que contou com alguns dos mais credenciados especialistas nesta área. A vereadora da Educação, Angélica Cruz, lançou um repto final, da criação de redes colaborativas com os parceiros locais, no sentido de uma efetiva territorialização das políticas educativas, de modo motivar e impulsionar os esposendenses a uma aposta na melhoria das suas qualificações.

Dedicado às crianças, no fim de semana de 2 e 3 de junho, a encerrar o Fórum da Educação, realizou-se a atividade “Patrimoniando”, no Parque Radical, onde, aliado a animação diversa, garantida por insufláveis, pinturas faciais e de balões, se proporcionaram atividade lúdicas e pedagógicas de exploração do património local. Desde construção de réplicas de casas castrejos, à Casa das Marinhas, passando pela exploração de diversos ofícios galaicos e pela dramatização da narrativa “Sebastião e Clarinha à Descoberta de Esposende”, foram várias as ofertas que garantiram um fim de semana rico de oportunidades para os mais novos. A atividade, que igualmente se inseriu nas Comemorações do Dia Mundial da Criança, foi complementada com a entrada gratuita nas piscinas municipais para crianças e jovens até aos 16 anos, com apoio da Esposende 2000.

Conforme vem sendo tradição, as atividades culturais também marcaram uma forte presença na edição de 2018 do Fórum da Educação. Neste sentido, foram realizados dois concertos: um dedicado às raízes culturais que unem Portugal a África, protagonizado pelo Coro de Pequenos Cantores de Esposende, e outro, dedicado às memórias marítimas das comunidades piscatórias de Esposende, num espetáculo de música e poesia, onde o palco foi partilhado pelo Coro Ars Vocalis e Agostinho Pinto Teixeira.

Com início durante o Fórum da Educação, e prolongando-se até ao final do presente ano letivo, o Município de Esposende está a promover ainda a itinerância de dois espetáculos pelas escolas do 1.º CEB e jardins de infância do concelho. “A Menina Serpente”, baseada na obra de Almada Negreiros, com encenação e dramatização da Companhia Teatro da Lua, é a proposta ao nível do teatro. Por seu turno, com produção da Escola de Música de Esposende, a “Viagem pelo Universo dos Instrumentos” é outro dos espetáculos itinerantes, desta feita com recurso à paleta dos sons.

Com um total de cerca de 25 oradores convidados e um universo de aproximadamente 3500 participantes envolvidos, o balanço do Fórum da Educação é francamente positivo, quer pela partilha de experiências, saberes, projetos e vivências, quer pela frutuosa parceria com as diversas escolas e instituições locais, desde a conceção, até à ampla participação dos diferentes agentes.

Comentários Facebook

Comentários

 

Artigos relacionados