Esposende com programa alargado para comemorar os 45 anos do 25 de Abril

Esposende com programa alargado para comemorar os 45 anos do 25 de Abril

- emBreaking News, Local, Notícias
1
0

Na passagem dos 45 anos da revolução de 25 de Abril de 1974, o Município de Esposende promove um programa comemorativo, sob o lema “Viver Abril”, com os objetivos de evocar tão importante momento da nossa história coletiva, enquanto país, e promover a reflexão sobre os valores de Abril, a saúde da nossa democracia e os desafios colocados à sociedade contemporânea. Neste sentido, estão previstas iniciativas de diferente índole, procurando abranger todos os públicos.

O programa inicia, no dia 24 de abril, com a tertúlia “45 anos de Abril: conquistas e novos desafios”, que terá lugar no Auditório Municipal, às 21h30. Serão convidados José Ribeiro e Castro, Presidente da Associação por uma Democracia de Qualidade, que recentemente apresentou na Assembleia da República uma proposta de reforma do sistema eleitoral, Raquel Varela, Historiadora e docente na Universidade Nova de Lisboa, com vasta produção científica sobre a Revolução dos Cravos e seus efeitos no país, Bernardo Branco Gonçalves, fundador da Plataforma MyPolis, que tem como grande objetivo aproximar os jovens da política, numa sessão que contará, ainda, com a presença de Benjamim Pereira, Presidente da Câmara Municipal de Esposende e com moderação da jornalista da RTP, Sandra Sá Couto. A tertúlia será precedida pela performance “Sopro de Liberdade”, pelo Coro de Pequenos Cantores de Esposende.

No dia 25 de abril, a evocação da efeméride inicia-se com uma sessão extraordinária da Assembleia Municipal de Esposende, que terá lugar no Auditório Municipal, às 10h. A sessão será precedida pela encenação da peça “Espozende, tempos difíceis…”, pelos alunos do 4.º ano de escolaridade da Escola Básica de Mar. Pelas 11h, terá início um Ateliê de Papagaios de Papel, no Parque Radical, que se prolonga até às 13h, numa organização conjunta das empresas municipais Esposende Ambiente e Esposende 2000, atividade lúdico-pedagógica dirigida às crianças e famílias, que vai já na sua 7.ª edição.

Ainda no dia 25, pelas 12 horas, será inaugurada a exposição de rua “25 de Abril: o virar da página”, que ficará patente ao público, na Praça do Município, até ao dia 10 de maio. A exposição tem como objetivo mostrar o ambiente vivido na época, através da imprensa nacional, regional e local, de acordo com uma orientação cronológica, salientando o importante papel destes órgãos informativos. Pelas 18h, terá lugar no Fórum Municipal Rodrigues Sampaio o concerto “O que nos dizem os ventos de Abril?”, pelo Coro de Câmara EME e pelo Ensemble EME, agrupamentos da Escola de Música de Esposende. Serão interpretadas obras de consagrados autores (música e poesia) como Zeca Afonso, Carlos Paredes, Fernando Lopes-Graça, António Gedeão, Fernando Tordo, Ary dos Santos, entre outros. A terminar o dia, no mesmo espaço, realiza-se, às 21h30, o Painel “O Dia da Revolução: memórias e vivências”, com a presença do Sargento Manuel Silva, comandante da Chaimite “Bula” que transportou Marcelo Caetano do Quartel do Carmo em direção ao Quartel da Pontinha, às 19h30 do 25 de Abril de 1974, após rendição do chefe de Estado. Será também convidado o Cabo José Alves Costa, cabo apontador do blindado M47, que protagonizou, pelas palavras de Salgueiro Maia, “a insubordinação mais bela do 25 de Abril”, ao desobedecer às ordens do brigadeiro Junqueira dos Reis para disparar sobre a coluna de Santarém, em pleno Terreiro do Paço. A moderação será assegurada por Manuel Albino Penteado Neiva.

No dia seguinte, 26 de abril, pelas 17h30, a Casa da Juventude acolhe a sessão “O Poder da Participação: pensar o território”. Trata-se de um workshop de ativação da participação democrática, aberto a toda a comunidade, mas com particular destaque para as Associações Juvenis, Juventudes Partidárias, Associações de Estudantes e outros grupos de jovens. A dinamização estará a cargo de Sofia Marques da Silva, docente da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto e coordenadora do programa do Governo INCoDe.2030. São objetivos da sessão promover a reflexão sobre os modelos e práticas de participação cívica, em particular dos mais jovens, e a sua importância para o cultivo da democracia e para um maior envolvimento e apropriação dos assuntos que marcam a agenda das comunidade, com vista à procura coletiva de um contínuo desenvolvimento sustentável, que potencie a qualidade de vida, a coesão social e o bem-estar dos cidadãos, alicerçados num processo de educação e formação ao longo da vida.

Ainda no dia 26 de abril, às 21h30, o Auditório Municipal acolhe “QUATRO CINCO, DOIS CINCO”, um espetáculo performativo criado e executado por GÃRGOOLA e GEME (Grupo Experimental de Música Exploratória do Projeto AMAReMAR – Arte e Comunidade). Com direção artística de João Miguel Fernandes e Filipe Miranda, o espetáculo exalta, essencialmente, a Liberdade: a liberdade de fazer acontecer, de experimentar, moldar, desconstruir, decompor, soltar, criar.

A encerrar o programa comemorativo, e igualmente integrado nas comemorações do Dia Mundial da Dança, realiza-se no dia 27 de abril, às 21h30, no Auditório Municipal, o Espetáculo “Solta as Amarras”, protagonizado pela Academia Ás do Saber, sob direção artística de Hugo Fernandes.

Durante os dias comemorativos, estará patente no foyer do Auditório Municipal uma exposição de painéis de azulejo alusivos ao 25 de Abril, realizados por crianças das Escolas Básicas de Forjães, Rio de Moinhos, Mar, Guilheta e do Jardim de Infância de Cepães, do Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio.

No âmbito da programação “Viver Abril”, o Município conta com a especial colaboração da Oficina de Costura Criativa do projeto AMAReMAR – Arte e Comunidade, sob coordenação de Ana Silva, através da conceção e realização de elementos decorativos que estarão patentes no Auditório Municipal, Fórum Municipal Rodrigues Sampaio e Praça do Município.

O presente programa enquadra-se no âmbito dos Princípios da Carta das Cidades Educadoras e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030, da Organização das Nações Unidas, nomeadamente os referentes à “Educação de Qualidade”, “Cidades e Comunidades Sustentáveis” e “Paz, Justiça e Instituições Eficazes”.

Comentários Facebook

Comentários

 

Artigos relacionados