80ª Volta Portugal Santander de 1 a 12 de agosto

80ª Volta Portugal Santander de 1 a 12 de agosto

- emDesporto, Notícias
3
0

De 1 a 12 de agosto as bicicletas voltam a reinar nas estradas portuguesas percorrendo as diversas geografias do país durante a 80ª Volta a Portugal Santander, a mais abrangente dos últimos anos.

Como nunca antes aconteceu, a prova vai começar em Setúbal. O Prólogo coincidindo com os festejos da emblemática Feira de Santiago, tradição com mais de quatro séculos de história, vai animar, ainda mais, o início da Volta. Será a Grande Partida da edição 80 da maior prova velocipédica portuguesa. No percurso há diversas estreias e assinala-se o tão aguardado regresso ao Algarve e com etapas totalmente alentejanas. No fim, Fafe onde a Volta é sempre brindada com banhos de multidão abre, pela primeira vez na história, a “Sala de Visitas do Minho” para atribuir os louros da vitória aos novos vencedores da Volta a Portugal em bicicleta.

Do modo como foi desenhada a prova, onde todos terão oportunidade de se mostrar consoante as características de cada etapa, com alguns dos dias mais duros na última semana e com as míticas etapas da Sra. da Graça ao sábado e a Estrela ao domingo, o vencedor apenas será revelado no fim dos quase 1600 quilómetros de competição que terminam numa intensa luta contra o cronómetro. Com 21 equipas participantes e um pelotão rejuvenescido que ronda os 150 homens, a 80ª Volta a Portugal Santander apresenta este ano cinco equipas internacionais do escalão Continental Profissional, o segundo mais importante na hierarquia da União Ciclista Internacional. Os novos regulamentos da Federação Portuguesa de Ciclismo permitem também a inclusão na prova de novas formações portuguesas.

SETÚBAL NA GRANDE PARTIDA DA VOLTA A PORTUGAL
A prova começa com um curto, apenas 1,8 quilómetros, mas intenso contrarrelógio individual no centro de Setúbal na tarde de 1 de agosto. A ligação da cidade sadina à Volta remonta a 1927 quando foi organizada a primeira edição. Até agora a cidade já recebeu 16 finais de etapa neste evento que para além de toda a componente desportiva é, simultaneamente, uma grande festa popular que todos os anos apaixona os portugueses.
No dia seguinte, a primeira etapa também terá o rio Sado por perto porque começa em Alcácer do Sal. Até Albufeira onde terminará esse dia serão percorridos 191,8 quilómetros sendo o regresso ao Algarve 10 anos depois da última passagem da Volta.

Do extremo sul do continente português, a prova passará na segunda etapa para o pleno Alentejo. Em Beja terá início a tirada mais longa desta edição que chega aos 195,3 quilómetros com Portalegre a receber o final de etapa.
No sábado, 4 de agosto, a 80a Volta a Portugal Santander faz uma homenagem solidária às populações atingidas pelos incêndios de 2017. Designada Etapa Vida a terceira tirada da prova terá 175,9 quilómetros e será discutida no percurso que vai começar na Sertã passando por Pedrógão Grande, Figueiró dos Vinhos, Castanheira de Pêra, Lousã, Góis, Arganil, Tábua e terminará em Oliveira do Hospital. A Podium Events, entidade que organiza a Volta, juntou esforços para lembrar as vidas perdidas e as regiões desoladas, mas sobretudo para enaltecer a valentia dos que puseram mãos à obra com o objetivo único de reconstruir a vida.

Ao quinto dia de competição, a Montanha entra definitivamente no léxico desta Volta e a Serra da Estrela é a protagonista. Guarda vai aplaudir a partida do pelotão que terá pela frente a subida ao ponto mais alto do território continental. Depois de chegar e contornar a Torre, a corrida desce a alta velocidade para Manteigas, irá na direção da Covilhã e vai subir para as Penhas da Saúde onde vão terminar 171,4 difíceis e marcantes quilómetros.
Antes de fechar a primeira fase da Volta 2018 ainda será preciso percorrer mais um longo dia. A quinta etapa com 191,7 quilómetros vai ligar o Sabugal a Viseu. Logo depois da chegada começam as atividades relacionada com o Dia de Descanso.
Depois da jornada de repouso, a Volta a Portugal Santander está novamente em ação e para uma etapa de novidades. Com mais de 90 anos de história a prova ainda Sernancelhe, no Distrito de Viseu, como local de partida. Até Boticas, que nos últimos anos tem assistido a diversos inícios de etapa, haverá 165,4 quilómetros e, pela primeira vez, a vila transmontana vai acolher um final de tirada.
Montalegre vai estar na partida da sétima etapa. A vila do distrito de Vila Real assistirá ao início de um dia de transição com 165,5 quilómetros que vai levar a caravana até ao miradouro de Santa Luzia, em Viana do Castelo.

No penúltimo dia de competição a região minhota estará plenamente representada na Volta. A oitava etapa vai começar em Barcelos e terminar em Braga passando uma primeira vez na reta da meta a faltarem 16 quilómetros para o final. Será a tirada em linha mais pequena desta edição com 147,6 quilómetros.
Com o aproximar do fim da Volta vai crescer a expectativa sobre quem poderá vencer este ano. O sábado começa com a nona etapa que vai com certeza contribuir para definir o vencedor ao sair de Felgueiras, como já não acontecia há nove anos, e terminar na sempre imponente e difícil Sra. da Graça em Mondim de Basto. Há três contagens de montanha de 1a categoria na parte final dos 155, 2 quilómetros.
FINAL INÉDITO DA VOLTA A PORTUGAL EM FAFE
Para concluir a 80a Volta a Portugal Santander faltará no domingo, 12 de agosto, o contrarrelógio individual da décima etapa com 17,3 quilómetros que se vai realizar em Fafe. Presença assídua na competição, a “Sala de Visitas do Minho” estreia-se como Cidade do Grande Final da Volta 2018.

Desde 1938 que Fafe surge no mapa da Volta a Portugal em bicicleta e já em duas ocasiões, 2011 e 2014, viu a prova começar na cidade. Entre partidas e chegadas de etapa, Fafe tem 32 participações na Volta. Em 2016, o município inovou ao trazer para o ciclismo o fantástico salto da Pedra Sentada do Rally de Portugal que este ano se repete. Em 2017, a cidade ficou também associada ao final da carreira e à última vitória enquanto profissional de Rui Sousa, um dos mais acarinhados corredores nacionais.
ETAPA VIDA
Profundamente ligada ao território, a Volta a Portugal em Bicicleta é um dos mais importantes veículos de promoção local. É também um evento com responsabilidades sociais e relações muito fortes com todas as populações que visita anualmente. Esta proximidade fez nascer a vontade de homenagear as populações atingidas pelos graves incêndios de 2017, o que vai acontecer com a Etapa Vida na terceira etapa da 80a Volta a Portugal Santander. A 4 de agosto a ligação entre a Sertã e Oliveira do Hospital que vai passar por Pedrógão Grande, Figueiró dos Vinhos, Castanheira de Pêra, Lousã, Góis, Arganil e Tábua terá um significado muito para além da competição.
O movimento de solidariedade vai intensificar a promoção dos territórios e ganhará um simbolismo extra com o apoio do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que deverá fazer o acompanhamento integral da Etapa Vida na caravana da Volta. Marco Chagas será o padrinho desta iniciativa, promovida pessoalmente pelo diretor da Volta a Portugal, Joaquim Gomes, e que se tornou possível sem custos financeiros para os municípios devido ao apoio conjunto de alguns dos patrocinadores da Volta – Santander, Liberty Seguros, altice, Jogos Santa Casa, Brisa – e ainda ao Turismo do Centro e a Fundação do Desporto, que financiam e oferecem a Etapa Vida aos concelhos do centro do país violentamente afetados pelo fogo.

Comentários Facebook

Comentários

 

Artigos relacionados